Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Whatever I want

Whatever I want

Compreendida pelo mar

21.04.13 | nayta
 
"A vida sem luta é um mar morto no centro do organismo universal."
 

Se tudo fosse fácil, não tinha tanto prazer em ter. Será por isso que eu estou assim?

Porque é que nada é como tu? Tu és bruto nas horas críticas, és violento e agressivo, mas uma coisa é certa… és quem mais acalma uma pessoa… Tu és o porto que abriga as tuas próprias maldades, és o silêncio do teu barulho, és a quietude da tua brutidão.

 

É correto dizer que és o pior inimigo do ser humano?

Não! É certo que matas muitas pessoas, destróis muitos habitats mas não é culpa tua! É nossa! Nós que não ouvimos a nada nem a ninguém quando construímos coisas ao pé de ti, quando não nos importamos em prejudicar-te só porque temos “necessidade de” … Não és tu que cometes homicídio, somos nós que cometemos suicídio!

E ao contrário do que todos dizem, tu para mim és um grande amigo!

Ouves-me sem eu falar,

Transmites-me calma sem me tocares …

 

Tu mar, tu és o melhor cantinho que alguém me pode dar. Se um dia pudesse escolher entre tu e os outros, eu escolher-te-ia a ti!

Os outros são rudes, falsos, macabros, desrespeitadores… não perdoam os erros, até vivem para se vingarem! Não há aquela união, não há aquela compreensão, não há senão uma adaptação…

Tudo isto para dizer que para mim, não é preciso haver palavra e promessas… basta-me apenas humildade, dedicação e valorização ….