Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Whatever I want

Whatever I want

Rascunho de vida

12.04.13 | nayta

Há uma coisa que ainda não entendi. Na verdade ainda não entendi um monte de coisas.

Tu por exemplo. Digo que te conheço mas cheguei à conclusão que afinal não é bem verdade. Tu és como a maré… vai e vem, é bruto e ao mesmo tempo calmo …

Não percebo. Sempre te respeitei, sempre confiei, acreditei em ti ! Porquê a mim? E porquê tudo isto ? Porquê tanta repetição das mesmas asneiras, dos mesmos erros?? Fiz eu alguma coisa para merecer isto? Sempre te dei o melhor de mim, sempre fiz tudo para que o “nós” fosse diferente… único!  Mas a verdade é que de tua parte não foi igual… fazes-me sentir que eu é que estou a mais, eu é que sou o fardo que tu carregas… Não há explicação para tudo o que sinto!

Não vou dizer que foste a pior coisa da minha vida porque não foste, Antes pelo contrário. Mas digo que fizeste a pior coisa que me podias fazer…

Aperceber-me de que desde o início não foste respeitador das minhas palavras, dos meus pedidos, é como me aperceber de que este tempo todo foi um mero teatro …

Durante todo este tempo magoaste-me com aquela amizade, magoaste-me por preferires sempre os sentimentos dessa amizade. Ouviste sempre os pedidos dessa amizade enquanto eu fazia figura de estúpida a pensar que se passava uma coisa e estava a acontecer uma coisa completamente diferente. Melhor que ninguém sabes o que sempre achei dessa relação, dessas intimidades que supostamente não deviam de existir! Sabes como me senti e me sinto? Mais uma! Apenas mais uma insignificante rapariga que tentou ser feliz e que não valeu de nada. Essa amizade sempre foi e sempre será um obstáculo para a felicidade dos dois. Sempre foi um travão para a progressão do namoro. Sempre foi uma razão para as tuas indecisões, sempre foi tudo menos bom para o “nós”. Não sei como ainda não percebes-te que só perdes com as defesas do adversário… Sobre isto já não tenho muito mais a dizer… apenas digo que enquanto não perceberes que ou tens uma coisa ou tens outra nada vai ficar bem.

 

 

Outra coisa que também não percebo é o facto de as pessoas tolerarem falsidade…

Serei a única que não suporta isso?

Porquê falsidade? Será arrependimento do passado? Será uma consequência da solidão?

Na minha vida só encontro pessoas falsas! Pessoas rudes, orgulhosas, com mania de superioridade, pessoas com mania de que a perfeição existe e que essa perfeição, são elas mesmas! Porquê? Pessoas que já foram parte de mim e agora julgam-me a torto e a direito!

Neste momento só os de casa me fazem sentir que ainda existe alguém humilde, que me compreende e está sempre para mim! Quem diz que pais não podem ser amigos só pode ter tido uma infância sem pais, ou pais muito maus! Se os meus pais não fossem meus amigos eu não aguentaria nem metade do que hoje aguento. Se os amigos que deveriam de ser amigos não exercem o seu papel corretamente, os pais também têm de exercer o papel de amigos! Amigo não significa deixar fazer tudo! Significa estar disponível 24 horas por dia para qualquer que seja o momento, qualquer que seja a situação. E orgulho-me por ter um pai e uma mãe que são meus amigos mas que mesmo sendo amigos, são pais que educam e me preparam para a vida! Se hoje tenho um pingo de felicidade devo a eles e ao meu irmão. Eles sim são a minha vida! E por eles dou a minha vida!

(…)

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.